Síndrome de Reye: Sinais, sintomas e tratamento

Mesmo hoje em dia com todas as tecnologias existentes, algumas doenças ainda não são estudadas como merecem. A síndrome de Reye foi descoberta em 1963, se caracterizando por ser uma doença muito séria e rara, podendo ocorrer em qualquer fase da vida, mais afeta principalmente as crianças que tem a idade entre 4 a 12 anos. Se trata de uma doença não contagiosa, que pode afetar todos os órgãos do corpo humano, mais o cérebro e o fígado são os mais afetados por ela. Continue lendo e confira tudo sobre a doença, sintomas, tratamento e como evitar.
Síndrome de Reye: Sinais, sintomas e tratamento

A síndrome de Reye vem sempre acompanhada de uma doença viral ou infecção respiratória, onde dois vírus podem ser os causadores dessa doença, o Varicela-zóster, o vírus responsável pela catapora, e o Influenza, o vírus da gripe. Mas vale lembrar que nem sempre, todos que tem contato com o vírus desenvolvem a doença. 

É uma doença de difícil diagnóstico, podendo ser facilmente confundida com encefalite, meningite, diabetes, overdose de droga, envenenamento, síndrome de morte súbita ou doença mental.

A medicina não sabe ao certo como ocorre a evolução dessa doença a partir desses vírus, mais alguns especialistas acham que alguns medicamentos que contenham como princípio ativo o ácido acetilsalicílico (AAS), que estão presentes em remédios como a aspirina, por exemplo, podem desencadear a síndrome.

Por isso é de extrema importância não medicar crianças que estão com o vírus da catapora ou o da influenza sem o acompanhamento médico, principalmente com medicamentos que contenham o AAS em sua composição.

Sinais e sintomas

Eles começam de repente  normalmente de 5 a 7 dias depois dos sinais do aparecimento da doença viral começar.

A criança pode se sentir nauseada, podendo vomitar constantemente e ocorrem mudanças nas funções mentais, como letargia, indiferença ou confusão. Posteriormente a criança entra em delírio e começa a respirar rapidamente.

Os sintomas da doença aparecem quando a criança está se recuperando da infecção, tendo um progresso muito rápido, podendo levar a criança ao coma e consequentemente à morte.

Para que seja mais fácil a identificação da doença abaixo vamos mostrar os principais sintomas:

Agitação
Convulsões
Desorientação
Delírio
Dificuldade de falar
Irritabilidade
Mudança de personalidade
Perda de ânimo
Sonolência
Visão dupla

Tratamento

É necessário que o tratamento comece assim que os sintomas aparecerem, pois as chances de recuperação são maiores quando ele é tratada nas fases iniciais, por isso o tempo é muito importante para a cura dessa doença.

Ainda não existe nenhum tratamento que garanta a cura dessa doença, por isso o que é feito, é visando reduzir o inchaço do cérebro, inverter os danos metabólicos e prevenir complicações nos pulmões.

O tratamento deve manter os níveis de substâncias químicas estáveis do sangue, até que os sintomas da síndrome sumam.

Muitas pessoas conseguem se recuperar totalmente da síndrome, já outras podem ficar com algumas sequelas neurológicas graves e até fatais.

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

© Melhores Dicas