Quais são os métodos anticoncepcionais?

Nos dias atuais a sociedade exige um planejamento familiar, sendo que este é muito importante para melhorar a qualidade de vida das famílias, pois é só assim que podemos garantir um futuro mais digno para os adolescentes de hoje e os que serão adolescentes amanhã. Para facilitar o planejamento familiar e ajudar a evitar um futuro indesejado é que foram criados os vários métodos contraceptivos, ou seja métodos que ajudam a evitar a gravidez. Continue lendo e confira quais são os métodos contraceptivos e como cada um funciona.

Métodos anticoncepcionais

1 - Métodos de barreiras

Camisinha feminina


Camisinha feminina

É feita de látex, em formato de saco, onde se encontram dois anéis, um em cada extremidade. O lado fechado serve para facilitar a introdução da camisinha na vagina e o outro lado serve para segurar a mesma do lado de fora, protegendo os pequenos e grandes lábios.

Ela evita que a mulher pegue DSTs e AIDS. Sua eficácia contra gravidez é de cerca de 97%.


Camisinha masculina


Camisinha masculina

É feita do mesmo material da feminina, tendo certa elasticidade. Ela deve ser colocada no pênis ereto do homem, com a finalidade de impedir que os espermatozóides saiam logo após a ejaculação. Em sua ponta é importante deixar uma parte vazia sem ar, é onde o esperma vai ficar. Caso isso não ocorra é perigoso a camisinha estourar ou o esperma subir pela extremidade da camisinha e entrar em contato com o corpo feminino.

Ela evita as DSTs e a gravidez. Sendo um método muito barato e acessível para todas as classes sociais, sendo considerado o método contraceptivo mais adotado no mundo.

Tem uma eficácia de 96% aproximadamente se for usada corretamente.

Diafragma


Diafragma

Pode se dizer que é uma cápsula feita de silicone ou látex, devendo ser introduzida momentos antes da relação sexual. Tem esse formato para se encaixar na entrada do útero, evitando que os espermatozóides passem por ali. Para maior eficácia é recomendado seu uso junto com um espermicida. Depois da ejaculação, deve ser esperado seis horas para retirar o contraceptivo, para maior garantia de que todos os espermatozóides já tenham morrido.

Sua eficácia fica em torno de 80%.

2 - Métodos hormonais e químicos

Injetável


Injetável

Uma seringa é usada para injetar quantidades de hormônios que evitam a ovulação em determinado tempo, podendo ser mensal ou trimestral.

Para que a mulher consiga engravidar deve ser interrompido o tratamento, assim seis meses depois já é possível acontecer a gravidez.

Esse tipo de tratamento tem eficácia de 98,5%. Devendo ser utilizado apenas se houver acompanhamento médico.

Implante


Implante

São colocados no braço pequenos bastões contendo hormônio, eles impedem a ovulação gradativamente, por até cinco anos.

Depois da interrupção do uso desse método, é possível engravidar após um ano.

Pílula do dia seguinte


Pirula

Contém grande quantidade de hormônios, desfavorecendo os espermatozóides e a ovulação. Só deve ser usado em casos de extrema emergência, como quando a camisinha fura, ou um vazamento de esperma.

Para que de resultados deve ser tomada em até quatro dias após a relação sexual, pois o quanto mais demorar para tomar, menor vai ser a eficácia. Não podendo esquecer que esse método só previne relações sexuais anteriores e não futuras.

Sua eficácia fica em torno de 99,9%.


DIU – Dispositivo Intra-uterino

DIU

Ele é feito de plástico e é banhado por cobre, funcionando como espermicida. O DIU é colocado dentro do útero pelo médico, isso deve ser feito no período menstrual, pois o colo do útero está mais aberto. Esse dispositivo pode ficar durante anos no útero, sempre mantendo sua eficiência, para isso é preciso ter o acompanhamento regular do médico ginecologista.

Esse dispositivo não protege contra as DSTs, caso ocorra uma possível gravidez, onde o aparelho tem 98% de eficácia, ocorre o abortamento.

3 - Métodos comportamentais

Esse método se baseia apenas no comportamento de todos que praticam o ato sexual.

Coito interrompido

O pênis é retirado de dentro da vagina momentos antes da ejaculação.

Esse método é muito perigoso, porque antes da ejaculação sai um liquido, o lubrificante, que também contém espermatozóides capazes de fecundar o óvulo.

4 - Método de ovulação Billings

Muitos conhecem apenas como Billings, é um método de regulação natural da fertilidade, onde o casal ou a mulher identifica o período fértil, tudo isso é possível com base nas observações que a mulher deve fazer em seu corpo.

Esse método é mais aconselhável e utilizável para que a mulher consiga engravidar e não o oposto.

5 - Tabelinha

tabelinha

A mulher faz uma tabela de seu ciclo hormonal, prevendo os dias em que pode ter relações sexuais com menor risco de gravidez.

Para que esse método de certo, todo mês deve ser marcado em um calendário a data do inicio da menstruação. Para ter uma informação mais correta, deve ser usado esse método durante seis meses. O número de dias entre as menstruações dividido por dois deve indicar o meio do ciclo.  Nos três dias anteriores e nos três dias posteriores ao meio da tabela não se deve ter relação sexual, ou deve ser feito o uso de camisinhas.

Esse método só funciona se a mulher tiver um ciclo regulado, por isso é necessário fazer os seis meses de teste, para ter certeza de que se tem um ciclo certo, caso a diferença entre um ciclo e outro for maior que dez dias entre os ciclos mais longos e curtos, esse método deve ser evitado.

6- Métodos cirúrgicos

Laqueadura ou ligação de trompas

Laqueadura

É uma cirurgia onde as trompas da mulher são amarradas ou cortadas, assim evitando que os espermatozóides e os óvulos se encontrem.

Esse método é definitivo, ou seja, depois que a cirurgia é feita é impossível engravidar de novo. Por isso deve ser usado apenas quando se tem muita certeza do que está fazendo.
A cirurgia só é indica para mulheres acima de 25 anos que já tenham tido no mínimo dois filhos.

Vasectomia

Vasectomia

A cirurgia é feita na bolsa escrotal do homem, onde passa o canal deferente. Esse canal é cortado impedindo que os espermatozóides cheguem ao esperma.

Essa cirurgia não faz com que o homem fique impotente ou prejudique sua produção de testosterona pelos testículos.

Esse método só pode ser feito com recomendação médica, como requisição é necessário que o homem tenha no mínimo 25 anos de idade ou dois filhos vivos. Ele deve passar por grupos educativos, pois também é um processo irreversível.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

© Melhores Dicas