Pílula do dia seguinte: Como usar corretamente?

A pílula do dia seguinte acabou virando febre como alternativa para evitar a gravidez, depois de sua aprovação, é muito fácil encontra-la em farmácias, já que pode ser adotada por mulheres de todas as idades, que infelizmente nem sempre respeitam as indicações dos médicos quanto ao uso desse tipo de remédio, mesmo com todas as informações disponíveis que existem hoje em dia. Por isso é muito importante ter consciência que a pílula nunca deve ser tomada regularmente, apenas em casos de extrema emergência. Se ela for tomada constantemente o efeito vai diminuindo. Continue lendo e saiba como usar a pílula corretamente.
Pílula do dia seguinte: Como usar corretamente?

Para se ter ideia de como a pílula do dia seguinte é forte podemos dizer o seguinte: uma cartela de anticoncepcional vem com 21 comprimidos, que devem ser tomados todos os dias de preferência no mesmo horário, onde cada comprimido contém uma quantidade de hormônios para evitar a formação de óvulos, a pílula do dia seguinte contém hormônio de uma cartela cheia de anticoncepcional, ou seja, para o corpo da mulher é uma quantidade muito grande sendo utilizada de uma só vez.

Confira as perguntas mais frequentes sobre a pílula do dia seguinte:

Quando se deve tomar a pílula do dia seguinte?

A pílula só deve ser tomada em casos de urgência. Existem dois tipos, uma vem com uma única dose e outro são dois comprimidos (um ingerido após a relação e outro depois de doze horas). Independente do tipo ela deve ser tomada no máximo 72 horas após a relação sexual. 

Quanto mais tempo demorar para tomar menor será a eficácia do remédio.

A pílula funciona como abortivo?

Não. Ela age antes que a gravidez ocorra. Se a fecundação ainda não ocorreu, ela vai dificultar o encontro entre o espermatozoide e o óvulo. Se a fecundação já ocorreu a pílula vai provocar a descamação do útero, impedindo a implantação do ovo fecundado.

Ela pode causar efeito colateral?

Sim. O mais comum é a alteração no ciclo menstrual e do tempo de ovulação. Nesse caso será impossível calcular seu período fértil e o dia da sua menstruação. Outros sintomas como dor de cabeça, sensibilidade nos seios, náuseas e vômitos são sintomas comuns.

A pílula pode ser considerada um método contraconceptivo?

Não. Como seu nome mesmo diz ela só deve ser usada em casos extremos. Pois a quantidade de hormônios presente nela é muito grande, podendo trazer efeitos colaterais.

Mesmo tomando a pílula é possível engravidar?

Sim. Como qualquer outro método é possível ocorrer à falha. Neste caso quanto mais cedo ela for tomada a eficácia é maior.

O uso excessivo pode afetar o aparelho reprodutor?

Sim. Em curto prazo pode causar a revolução na produção hormonal da mulher. Em longo prazo dependendo da quantidade de vezes que ela for tomada, o quanto mais maiores serão os riscos.

Depois de tomar a pílula, a mulher fica segura até a próxima menstruação?

Não. Ela terá efeito apenas para aquela relação em questão.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

© Melhores Dicas